segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Características dos Poemas de Cecília Meireles

A LINGUAGEM

No plano estilístico – ao contrário do coloquialismo dos poetas modernos – há em sua obra uma tendência à linguagem elevada, sempre carregada de musicalidade. A música, algumas vezes, parece ser mais importante que o próprio sentido dos versos. Também a exemplo dos simbolistas, as palavras para a autora mais sugerem do que descrevem. Daí a força das impressões sensoriais em seus poemas: imagens visuais e auditivas sucedem-se a todo momento:O rumor de suas penasera um rumor de fontesbrancas em tardes morenas.Ressalte-se que certas palavras que aparecem continuamente em seus versos, tais como música, areia, espuma, lua e vento, acabam, por sua repetição obsessiva, adquirindo uma dimensão metafórica. Simbolizam o efêmero, aquilo que passa (em geral, os sentimentos do eu-lírico). Opõem-se, por exemplo, à palavra mar, que é a grande metáfora daquilo que permanece (em geral, o sofrimento).

A TEMÁTICA

Igualmente no plano dos assuntos, a poesia de Cecília Meireles revela ligações com várias estéticas tradicionais, especialmente o Simbolismo. Entre os seus motivos dominantes figuram:- O registro de estados de ânimo vagos e quase incorpóreos. Neles predomina uma difusa melancolia e uma noção de perda amorosa, abandono e solidão.- Uma aguda consciência da passagem do tempo, da brevidade enganosa de todas as coisas, sobremodo dos sentimentos.A atmosfera de dor existencial que emana dos poemas de Cecília Meireles é centrada na percepção de que tudo passa e de que o fluir do tempo dissolve as ilusões e os amores, o corpo e mesmo a memória. Um exemplo desta visão sofrida é Retrato:.Eu não tinha este rosto de hoje,assim calmo, assim triste, assim magro,nem estes olhos tão vazios,nem o lábio tão amargo.Eu não tinha estas mãos sem força,tão paradas e frias e mortas;eu não tinha este coraçãoque nem se mostra.Eu não dei por conta esta mudança,tão simples, tão certa e fácil:Em que espelho ficou perdidaa minha face?

O crítico Flávio Loureiro Chaves anotou que a poesia de Cecília Meireles vive “engolfada na torrente do tempo”, em meio a uma grande angústia, imersa num “deserto opaco”, sem passado e sem futuro. “Não há passado / nem há futuro. / Tudo que abarco / se faz presente” – diz a poeta. Sua experiência é, portanto, uma experiência do vazio, já que ela não encontra possibilidade de comunicação com o mundo circundante. Nisto residiria o vínculo da autora com a modernidade estética, já que esta tem entre suas características ideológicas as sensações do absurdo e da falta de sentido da vida contemporânea.Diante da “navegação sem estrelas”, que é a trajetória humana, resta à Cecília apenas o canto, isto é, a celebração do ato de criação poética, único enfrentamento da artista contra um universo despossuído de significado. Observe-se o poema ACEITAÇÃO:

É mais fácil pousar o ouvido nas nuvens
e sentir passar as estrelas
do que prendê-lo à terra e alcançar o rumor dos teus passos.

É mais fácil, também, debruçar os olhos nos oceanos
e assistir, lá no fundo, ao nascimento mundo das formas,
que desejar que apareças, criando com teu simples gesto
o sinal de uma eterna esperança

Não me interessam mais nem as estrelas, nem as formas do mar,
nem tu.

Desenrolei de dentro do tempo a minha canção:
não tenho inveja às cigarras: também vou morrer de cantar.

19 comentários:

Anônimo disse...

É considerada como uma das mais habilidosas escritoras, apresentando cuidadosa seleção vocabular. Cultivou uma poesia reflexiva, de fundo filosófico, que abordou, dentre outros, temas como a transitoriedade da vida, a passagem do tempo, o amor, o infinito, a natureza, a criação artística. A musicalidade dos versos, a espiritualidade dos temas e o uso dos elementos como o vento, a água, o mar, o ar, o tempo, confirmam a inclinação neo-simbolista.

Isso faz de Cecília uma poeta de essências delicadas e sutis!

=)Bjs a todos!

Anônimo disse...

-q

Anônimo disse...

mulher chata, não tinha o que fazer!

Anônimo disse...

só tô lendo essa bosta pq precisa msm, se n eu nao passo de ano :/

Anônimo disse...

bando de tonto critcam mais façam melhor

Anônimo disse...

Escritora magnífica! Adoro!

Anônimo disse...

adoro essa escritora!

Anônimo disse...

Maravilhosa! (:

Anônimo disse...

linda, maravilhosa!!!!

Anônimo disse...

as obras dela são magnificas... amo de paixão....

Anônimo disse...

bom nao tenho o que dizer mais gosto d+ dos seus poemas

Anônimo disse...

adoro os pemas dela, são muito amoresos

Anônimo disse...

adoro seus poemas, são muito amorosos rsrs *-*

Anônimo disse...

É uma pena que os alguns brasileiros desvalorizem a própria cultura, o que anônimos acima dizer é uma calunia, Cecília foi uma grande poetiza, e isso nunca vai mudar, agora estudar isso só pra passar de ano é sinal de que infelizmente nosso Brasil irá ter profissionais desqualificados.

Anônimo disse...

Marcos é gay

Anônimo disse...

Meu nome é Matheus e eu sempre li cecilia, ela é um arraso, Adogo

Ana Brito disse...

Olá,adorei seu blog,pois amo poesia,até levei algumas poesias para meu blog,espero que não se incomode!Já estou te seguindo!Abraço! http://meurefugiomeu cantinho.blogspot.com.br

Ana Brito disse...

http://meurefugiomeucantinho.blogspot.com.br

Nova Designer Expresso disse...

Ótimo Post. Me ajudou muito.

 
template by suckmylolly.com