quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Cântico IV


Foto Cec�lia Meireles
Cecília Meireles nasceu no Rio, em 7 de novembro de 1901, mesma cidade em que morreu, a 9 de novembro de 1964. A menina foi criada pela avó materna, Jacinta Garcia Benevides.

Tu tens um medo:
Acabar.
Não vês que acabas todo dia.
Que morres no amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que te renovas todo dia.
No amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que és sempre outro.
Que és sempre o mesmo.
Que morrerás por idades imensas.
Até não teres medo de morrer.
E então serás eterno.

4 comentários:

Rafael. Barreto. disse...

Essa poesia é realmente linda e é impressionante as emoções que Cecília nos passa com poucas palavras.

Mayumi Mine disse...

e também neste poema ela demonstra a renovação das coisas, o ciclo, que sempre se acabam as coisas, mas ao mesmo tempo o fim de algo é um começo, recomeçando o ciclo, que não devemos ter medo das coisas, pois elas se renovarão.

Gilsa Elaine disse...

Fico feliz em ver como vocês estão gostando de Cecília e se tornando leitores.
Um abraço!

Mari disse...

Gostei!!!
Estou preparando uma coletânea em homenagem à Cecília
depois dá uma olhadinha no meu blog
http://marianaxmariana.blogspot.com/

 
template by suckmylolly.com